São Paulo, 28 de maio de 2017. Seja bem-vindo! ARTES PLÁSTICAS • ENSAIOS • SIMULAÇÕES 
 
E-books x livros impressos - 01
São Paulo, 22 de fevereiro de 2014, sábado
Texto alterado do original de 19 de dezembro de 2011.

Qual é a melhor opção? Os livros eletrônicos ou os tradicionais?

Os livros, tal como conhecemos, levaram cerca de 2500 anos de desenvolvimento. Isto é, desde o papiro até o papel, sem considerar-se as outras formas, como o uso da argila para a escrita cuneiforme, por exemplo. Mas somente nas últimas décadas é que surgiram outras modalidades de publicações - as eletrônicas - indo desde o padrão PDF (do Adobe Acrobat) até aquelas que se lêem nos celulares (smartphones), iPad, tablets etc.

Entram então as dúvidas: Quais dessas modalidades de leituras são as melhores? As tradicionais? Ou as eletrônicas? Ou podemos usar ambas, de acordo com as circunstâncias?

Os livros tradicionais tem uma série de vantagens: São resistentes e inquebráveis, fáceis de manusear, as de boas edições têm seus índices e índices remissivos, não gastam baterias etc. Mas os livros eletrônicos permitem concentrar em um aparelho toda uma biblioteca. As desvantagens: Podem quebrar, requerem baterias, podem falhar (os bugs), e por fim, serem furtados. Se bem que os livros tradicionais também passam pelo mesmo problema de serem roubados. Mas aqui no Brasil, onde a maioria absoluta dos ladrões são medíocres, dificilmente alguém roubaria um livro. Exceto se for sabidamente raro e valioso.

E quando acontece esse caso, tenta-se vender a obra por um preço estupidamente barato. E o meliante é pego por esse ato de estupidez. Foi o que aconteceu com um “estudante” de História, na Universidade de São Paulo (USP), ao tentar vender uma obra rara, e que ele mesmo roubou, em uma feira de antigüidade...

Nunca vou esquecer o caso de um colega sebeiro, e que vendia seus livros dentro dessa universidade, e que guardava o seu acervo em armários. Um dia teve um deste arrombado. O que roubaram dele? As obras de História? Artes? Simplesmente nada. Deixaram como estava.


Os livros gratuitos nas bibliotecas virtuais

Através do Twitter/MariaOoliveira, fiquei sabendo da existência de uma biblioteca virtual, do governo, e que disponibiliza livros sob a forma de E-books (arquivos em Acrobat - PDF) - Domínio Público. A biblioteca está ameaçada de ser fechada, por causa da falta de interesse dos possíveis leitores. Dei uma olhada, no seu acervo para saber o porquê do insucesso do empreendimento. Talvez o problema seja este: O seu acervo é constituido exclusivamente de obras em domínio público, não tendo assim, as opções desejadas para vários leitores.

Mas pesquisando um pouco (no Twitter mesmo), descobri várias bibliotecas, sejam de faculdades, instituições ou empresas. E uma delas me chamou a atenção, que é o LivrosGrátis.net. Poderia dizer que o diferencial entre essa biblioteca e a do governo fosse quase nenhum. Mas nessa, fazendo as pesquisas, você logo descobre um pequeno acervo interessante. O que me surpreendeu foi o fato de constar nele os best sellers como a série Harry Potter, os Contos de Nárnia etc. Evidentemente tinha muita coisa séria. Diria até certos clássicos, como A Oleira Ciumenta, de Lévis Strauss (1,34 MB) e A Origem das Espécies de Charles Darwin (2,15 MB).

Não pensei duas vezes: Baixei os dois para o meu computador. Se bem que eu queria ter as outras obras do antropólogo estruturalista, como Os Tristes Trópicos por exemplo, mas isso pareceu impossível. E no tocante ao Darwin, eu tinha várias outras publicações referentes, como Teoria da evolução: De Darwin a teoria sintética (Newton Freire-Maia), As idéias de Darwin (Wilma George) etc. Mas eu não tinha A Origem das Espécies... Um detalhe: Eu não sou evolucionista e sim, criacionista.


Um dos motivos para adotar os E-books

Mas por que esse meu interesse pelos E-books, uma vez que nada se compara com um bom e velho (ou novo) livro impresso? Simplesmente porque atingi o limite de livros no espaço que tenho aqui em casa. Fui obrigado a me proibir de comprar mais livros. Pois, além desses, acumulei os periódicos (acadêmicos ou não), os manuscritos, os recortes de jornais e de revistas (hábitos que adquiri no tempo de faculdade). De modo que o meu acervo em livros, mesmo sendo modesto (um pouco mais de 800 volumes), somado às revistas, jornais, recortes, manuscritos etc., atingiu uma outra dimensão.

Eu particularmente não gosto dos E-books, sejam em PDFs (Acrobat), executáveis ou simples arquivos de textos. Não importa que tipo de dispositivo seja usado. Pessoalmente tentei com os meus palmtops. São aparelhos frágeis, gastam energia etc. Mas aí fica uma advertência: Se você pretende adquirir os livros (convencionais), esteja preparado para montar a sua biblioteca. O espaço é muito importante. E além disso, é preciso ter bons estantes, uma vez que sem os tais, os livros não têm a sua eficácia em termos de consulta. Pois, a idéia de empilhá-los é péssima.


Conclusão

Se você não tem espaço para guardar os livros. Ou prefere andar com uma biblioteca consigo mesmo, nada melhor do que os E-books. Principalmente agora que dispõe-se de dispositivos móveis como os tablets. Isto sem contar os smartphones. Mas se tiver um bom espaço para dispor de estantes para livros; de preferência, um imóvel próprio, os livros convencionais é, sem dúvida, a melhor opção. Além disso, duram séculos.



Comentários feitos
Atenção: No momento não são aceitos mais os comentários.

06/01/2010 - 04:02 - Lady Blue - Olá Zadoque...eu estava fazendo algumas pesquisas e descobri o seu blog, simplemente amei. Adoro livros, fotografia, sebos. Como você descobre tanta coisa! Fiquei encantada...voltarei muito ao seu blog. Parabéns!!!

07/01/2010 14:01 - Zadoque - Obrigado por ter gostado!


®zadoque, 2013 -- Você pode usar o conteúdo desta página desde que indique a fonte.

Tópicos a pesquisar:
APRESENTAÇÃO
BLOGS E SITES INTERESSANTES
ZADOQUE ARTS
QUEM É ZADOQUE?
CONTATO POR E-MAIL

Blog e redes sociais aonde possam deixar comentários:
ZADOQUE IMAGES
TWITTER/ZadoqueImages


®zadoque, 2013