São Paulo, 22 de junho de 2017. Seja bem-vindo! ARTES PLÁSTICAS • ENSAIOS • SIMULAÇÕES 
 
Querem fechar a Sta. Ifigênia!
São Paulo, 18 de maio de 2009, segunda.
Alterado em 26 de fevereiro de 2014, quarta.

A tradicional Rua dos Eletrônicos corre o risco de ser fechada. Isso devido à iniciativa do nosso prefeito Gilberto Kassab, que além de ter criado a polêmica campanha da Cidade Limpa (o que deu em nada, ao meu ver), abandonando a cidade em inomináveis sujeiras (vide o Defecorium) e ter ainda kassado as tradicionais bancas de sebos e revistas usadas/encalhadas da cidade, e a iniciativa de acabar com a Cracolândia (dessa vez louvável); agora, resolve varrer uma região inteira da Sta. Ifigênia, que tem pelo menos 40 anos de tradição, desde os componentes eletrônicos até a venda de produtos para informática.

Mas a região de Sta. Ifigênia resiste (e bravamente) ao nosso prefeito. Quem for para lá, percebe-se como, ao ritmo cada vez mais acelerado, foram construídas as galerias que praticamente varrem quarteirões inteiros.

São verdadeiros shoppings. Pegue, por exemplo, a Galeria São Paulo, que fica entre a Rua Sta. Ifigênia e a Rua dos Andradas, e a Rua Vitória com a Rua Aurora. São pelo menos três corredores, todos ligados. E mais dois ou três estão sendo construídos. Ficam apenas intactos os andares de cima dos prédios. Pode-se dizer que essas galerias são verdadeiros labirintos.



Se você pretende montar um computador, ou adquirir um usado a preço de banana, é lá mesmo que vai encontrar. Isso sem contar as inovações tecnológicas que os chineses (principalmente) colocam no mercado, a cada 6 meses pelo menos. Além disso, tem as piratotecas a céu aberto. O termo piratoteca não é minha, e sim, de um professor universitário.


Mas essa Sta. Ifigênia que se vê, não é o mesmo de 40 anos atrás, pelo menos. Isso porque, naquele tempo era apenas a região dos eletrônicos, e que hoje cederam o espaço para os computadores e as câmeras digitais. Não pense, porém, que os eletrônicos sumiram. Apenas migraram para um outro lugar. O que eu chamo de segunda Sta. Ifigênia, e que se encontram resumidos nos endereços 295, 308 etc. da Rua Sta. Ifigênia em si. Isso sem contar as ruas adjacentes e que vai até a Av. Rio Branco. Os dois mundos - o digital e o eletrônico - na verdade se complementam. Dependendo da tua coragem, você não somente monta o teu computador, mas até pode tentar consertá-lo, se entender, é claro, de eletrônica digital.

Pois bem, é justamente nesse mundo que freqüento (devido às circunstâncias, pois dependo, e muito, da informática), é que percebo, através dos cartazes, que o status quo da região pode mudar. Principalmente os que trabalham lá pelos lados da Rua dos Andradas, Rua do Triunfo, e até a extinta Cracolândia, é que percebe-se a insatisfação dos lojistas. Manifestações são feitas, no sentido de tentar barrar o projeto que pretende concretizar a ameaça de dominar toda aquela região. São as grandes empresas que estão de ôlho nela.





Mas quem estiver próximo da Rua Sta. Ifigênia propriamente dita, e principalmente das galerias, essa preocupação parece que não existe. E não é para menos: As próprias galerias estão sendo construídas, alheia às decisões do nosso profeito. Pois, têm ritmos próprios, e que garantem os lucros aos seus participantes. Na verdade, a Sta. Ifigênia não precisa das decisões de um burocrata, para dizer o que é melhor para ela. O próprio comércio decide por si mesmo.


Falando em Cracolândia...
Ela não morreu. Apenas migrou de lugar. Parece que agora está na Rua Guaianazes. Pois, é para lá que foram todos os sem-tetos. Quando a Cracolândia foi demolida, ficaram os sem-tetos, a vagar na região, tentando encontrar o que sobrou dos seus mocós antigos habitats.

Na verdade, é interessante notar como toda a cidade de São Paulo foi tomada por essas hordas de sem-tetos. O que sinaliza que as autoridades não têm a competência para lidar com essa gente. Basta olhar para as praças públicas. Por um bom tempo fiquei pensando o que tem provocado a degradação da nossa cidade. Se era o abandono das limpezas públicas, a manutenção das instalações, ou possíveis outras causas. Não. O problema está nos novos elementos humanos. Pois, eles estão ou ficaram exatamente onde houve essas degradações, depredando, sujando, e fazendo as necessidades lá. É como se não tivesse os banheiros públicos suficientes. Por que uma cidade como São Paulo, talvez a terceira maior do mundo, não têm suficientes banheiros públicos? Você, caro leitor ou leitora, sabe me dizer quantos banheiros públicos estão funcionando aqui?



Pegue os lugares como a praça Roosevelt, a praça da República, o Vale do Anhangabaú etc., e repare como são tratadas pelas nossas autoridades. Tudo no completo abandono. Enquanto isso, novos projetos estão sendo colocados em andamento... Mas os sem-tetos, mostra como uma relação simbiótica está rolando:


Eles estão lá justamente por causa da movimentação do comércio. Pois, nos finais-dos-dias, as ruas ficam abarrotadas de papelões e embalagens de mercadorias vendidas. Isso sem contar que as vezes você encontra até aparelhos eletrônicos, por causa dos defeitos apresentados, e que não compensa seus consertos.

Em uma dessas ocasiões, surpreendi um sujeito a desmontar uma lâmpada PL, por causa do soquete de alumínio. Nesse

ponto reparei que a lâmpada tinha muito mais a oferecer: O circuito eletrônico, o estanho desse circuito, o bulbo de vidro etc. Mas o nosso sujeito não via como aproveitá-los: Tinha de ter alguém que precisasse desses componentes.



Comentários feitos
Atenção: No momento não são aceitos mais comentários.

01/07/2009 - 20:12 - Valquiria Oliveira - Votaram no Homem agora ele quer esculhambar mais, com a cidade, mais desemprego, mais roubo, mais delinquentes, mais familias destruida, mais ele não tem filhos, não sabe que crianças, adolecentes, precisam de uma família estruturada, dê poder a um LOUCO que ele pira mesmo.



Referências:

ACSI - Assoc. dos Comerciantes do Bairro da Sta. Ifigênia
http://www.acsisanta.com.br / acsi@acsisanta.com.br
Rua do Triunfo, 134, 6º and., sala 68. CEP: 01212-010. Tel.: (11) 3486-4378. Com o sr. Paulo.



Lojas que se engajaram na luta pelos seus direitos:

Áudio e Tel.
Rua dos Andradas, 429. Tel.: (11) 3222-2422. Com Pedro.

Marbe Informática
marbeinformatica@hotmail.com
Rua do Triunfo, 129/144 - CEP: 01212-010. (11) 3221-3524. Vende e troca sucatas em geral. Falar com Betty.

Oficina do HD
http://www.oficinadohd.com.br / sohd@terra.com.br
Rua do Triunfo, 137 - CEP: 01212-010. Tel.: (11) 3361-6420. Recupera dados perdidos e a manutenção do disco rígido (HD).



®zadoque, 2013 -- Você pode usar o conteúdo desta página desde que indique a fonte.

Tópicos a pesquisar:
APRESENTAÇÃO
BLOGS E SITES INTERESSANTES
ZADOQUE ARTS
QUEM É ZADOQUE?
CONTATO POR E-MAIL

Blog e redes sociais aonde possam deixar comentários:
ZADOQUE IMAGES
TWITTER/ZadoqueImages


®zadoque, 2013