São Paulo, 17 de novembro de 2017. Seja bem-vindo! ARTES PLÁSTICAS • ENSAIOS • SIMULAÇÕES 
 
Desastres aéreos no Brasil: Vôos 1907, 3054 etc.
Reflexões sobre os vôos 1907, 3054 etc. no Brasil. Notícias comentadas e críticas. Observações sobre os fatos noticiosos e as manipulações das mídias.

São Paulo, 4 de junho de 2009, quinta-feira.
Revisão feita em 12/dez/2013.

Estão repetindo o mesmo êrro

Hoje, às 20 horas, dei a conta de que o ritmo de decolagem dos aviões no Aeroporto de Congonhas estava alucinante: Chegava a uma média de um avião a cada minuto. Isso no coração da cidade de São Paulo. Mas antes, ontem alguém já tinha notado isso. É bom lembrar que antes do acidente com o vôo 3054, ocorreu a mesma coisa: Durante bom tempo, o ritmo de decolagem no aeroporto era muito alto, como se estivéssemos em um palco de guerra. Suspeitando que algo de pior possa ocorrer, resolvi repor o artigo que eu já tinha postado faz um tempo, antes do acidente com o TAM nesse aeroporto.

Parece que as autoridades esperavam que a população esquecesse dos trágicos acidentes recentemente. E nem mesmo com a queda do Airbus 330 nesse último domingo - até agora um mistério -, foi o suficiente para intimidá-los. Acompanhe os artigos que postei, logo abaixo. E espero que nenhum acidente venha a acontecer!


O transponder não pode ser o culpado do acidente com o Legacy

Digamos que os dois jatos mantivessem na mesma altitude, mesmo assim, a probabilidade da colisão seria remota. Pois, o trajeto de um avião, entre dois pontos, não é exatamente em linha reta. Principalmente quando se trata de milhares de quilômetros. Existem erros de pelo menos centenas de metros.

Por analogia, imagine um duelo com pistolas, entre duas pessoas. O juíz orienta de que ambos deva manter uma distância de pelo menos 20 metros. Mas no momento de sacar as armas e dispará-las, ambos, os duelantes, tiveram a mesma idéia: Resolveram mirar bem no buraco do cano da arma do outro, e dispará-los ao mesmo tempo. Qual é a possibilidade das duas balas se chocarem?

Mais um argumento de que o transponder não é o culpado: Para derrubar um avião a centena de metros, em um atentado terrorista por exemplo, não basta dispor-se de um lançador de míssel portátil. O armamento precisa ter um dispositivo (inteligente) para perseguir o alvo.



Tragédia com o Vôo 3054...


FONTE: Último Segundo - http://ultimosegundo.ig.com.br

São Paulo, 23 de julho de 2007, segunda.

O espetáculo continua: Levaram sucata no lugar da caixa preta!

Ao chegar nos EUA, os peritos de lá constataram de que se tratava de uma sucata! Talvez, de fato, a caixa preta seja o aparelho que possa esclarecer de maneira definitiva, qual a causa do acidente do vôo 3054. Mas talvez seja a prova de possível negligência deliberada das autoridades, incompetências, descuidos que levaram ao acidente, ou até de crime.

Durante todo o tempo em que a sucata ficou viajando para os EUA, a caixa preta ficou, ao que parece, disponível aqui, para qualquer um. O absurdo é que esse suposto discuido não poderia ter sido cometido, uma vez que envolvia a morte de mais de 200 vítimas, no mais grave acidente de aviação em São Paulo. Não seria exagero em supor que no mínimo, tinha a intenção de atrasar as investigações, se não para alterar o conteúdo da caixa preta, se é que isso seja possível.

O suposto erro de trocar a caixa preta do jato por uma peça de sucata, apenas convence a leigos que lêem os noticiários. Pois, talvez você, internauta, não saiba, mas a caixa preta de um avião não é nada preta: Ela é amarela ou alaranjada! Justamente para poder ser identificada, no meio dos destroços. Ela tem um formato especial, para suportar ao máximo possível, aos impactos e fogo.


Êrro do piloto? Problema com o mecanismo de freagem do jato?
Alegam que o problema foi com o mecanismo do reverso do jato, que não funcionou bem. Usaram um vídeo, que registrou o momento antes do acidente, onde mostrava indícios de que o suposto reversor estava com problemas. Mas se esse tenha sido a causa, então por que vários pilotos recusaram-se a pousar no Aeroporto de Congonhas? Por que houve uma demora razoável para mostrar o vídeo?

Acontece que, antes do acidente, vários pilotos alertavam entre si sobre o problema da pista escorregadia do aeroporto; inclusive dando as dicas de como pousar com segurança o avião. Além disso, uma reportagem, do helicóptero, flagrou um jato fazendo a arremetida. Isto é, desistindo de pousar no Aeroporto de Congonhas, no período de dia, em que a visibilidade era boa. Quem entende melhor as pistas de um aeroporto? Os pilotos ou as autoridades suspeitas de irregularidades? Será que o video não tenha sido “montado”?



São Paulo, 20 de julho de 2007, sexta.

Vôo 3054: Mais de 200 mortos. Agora, quem é o culpado?

O piloto do jato? O jato em si? O famigerado transponder? Quem levará a culpa?

Por incrível que possa parecer, já se cogita que o piloto é o culpado pelo acidente, se não seja a falha do equipamento (aeronave). Tudo após uma seqüência de inúmeros incidentes e que culminaram com acidentes nesses últimos 10 meses, num índice sabidamente anormal em termos estatísticos. Eu já esperava que as autoridades desviassem a questão da pista escorregadia como uma possível causa do acidente no Aeroporto de Congonhas. E quando o argumento não é suficiente, alegam que tudo pode ser esclarecido com a caixa preta do avião. Será que dessa vez é preciso tirar a resposta da caixa preta?

Uma ou duas semanas atrás, eu tinha comentado com alguém de que vai cair um avião; era uma questão de tempo. Pois, moro a dois quilômetro do aeroporto, e ultimamente o ritmo de decolagem e aterrizagem dos jatos era muito intenso. Percebi que a situação estava sendo forçada. Aquilo não era normal. Era, conforme um colega tinha dito, uma tragédia anunciada. E pensei na idéia de criar um espaço na Página de Zadoque para fazer as minhas observações - um tipo de blog, como essa que você está lendo - pois, eu estava acompanhando o caso do Vôo 1907, e acumulei vários arquivos digitais sobre o assunto.

O caso do acidente com o Legacy e o Boing, ocorrido no ano passado, tinha mostrado possíveis suspeitas de manipulação de informações para a população. A princípio, acreditei que os dois pilotos americanos eram os culpados pelo acidente. Mas não demorou para mostrar, no início, que havia ocultação dos dados. E depois, que a explicação da causa não iria ser finalizada de maneira adequada. Enfim, acabei notando uma possível manipulação, talvez para jogar a culpa nos pilotos. Não poderia, portanto, ser diferente, no caso do acidente dessa terça, dia 17 de julho de 2007. Inclusive é possível até, a adulteração de relatórios, documentos, registros e gravações. Prevalecendo a impunidade, tal como tem ocorrido em vários casos.

Evidentemente que posso estar enganado nas minhas suposições. Mas é de consenso geral de que muita verba foi aplicada no Aeroporto de Congonhas, e que o essencial - a reforma e tratamento das pistas - não foi feito. Além disso, denúncias de corrupção na Infraero, a resistência contra as investigações (CPI do Apagão Aéreo) e principalmente as supostas crises provocadas pelos controladores de vôos, mostraram que tem algo escondido, e mostrou ser muito grande, possivelmente envolvendo-se com figuras importantes da nação. Acredito plenamente que o caso do acidente com o Legacy tem tudo a ver com a crise do apagão aéreo, e que por sua vez, tem também a ver com o acidente com o Airbus, nesse fatídico dia 17.

Estou compilando a lista de artigos consultados. Assim que estiver pronto, colocarei aqui. Por favor, aguardem.



Desastre com o Legacy. Quem é de fato o culpado?

São Paulo, 25 de dezembro de 2006.
Todos nós acompanhamos o noticiário sobre o acidente aéreo entre o jato da Legacy e o Boing da Gol (Vôo 1907), onde perdeu-se 154 vidas humanas. Perplexidade geral, a princípio considerei como grande irresponsabilidade dos dois pilotos norte-americanos da Legacy, e achei absurda a afirmação do jornalista americano Joe Sharkey, quando disse que o tráfego aéreo do Brasil é cheia de falhas. Poucos dias depois, sai nas bancas, na capa de uma das conceituadas revistas semanais, a foto dos dois pilotos da Legacy, com o ar que parecia de playboy, e com uma frase nada elogiáveis, mas sim, acusando-os pelo acidente. O linchamento público já estava começando.

Pura tolice da minha parte. Não ingenuidade porque, anos de experiência com as mídias e as autoridades desse país, eu deveria saber que, por vias das dúvidas, sempre deve considerar todos os possíveis procedimentos escusos envolvidos, antes de fazer quaisquer justificativas sobre quaisquer argumentações possíveis. Como um pesquisador, evidentemente acompanhei os noticiários, tanto nos jornais, rádios e TV, como nos sites de notícias. E foi justamente com essas observações é que pude perceber, no transcorrer do processo, toda uma manobra para amenizar a situação. Primeiramente, quando foi localizada a caixa preta com a gravação dos pilotos com os controladores de vôo, e essa foi para uma perícia, passado o prazo previsto, a Aeronáutica omite as informações que muitos esperavam... Vide:
http://www.estadao.com.br/ultimas/cidades/noticias/2006/ nov/13/365.htm
...o que fez com que um juiz da comarca de Sinop (a 472,40 km de Cuiabá) intimasse a Aeronáutica a entregar para a Polícia Federal, todos os dados apurados até aquele momento.

“Coincidentemente” logo após os fatos, surge a crise na aeronáutica, com os controladores de vôos, reinvindicando pelas melhorias de trabalho. E derruba o comandante do Cindacta-1. Vide:
http://www.estadao.com.br/ultimas/cidades/noticias/2006/ nov/14/393.htm
Aproximadamente nesse período, creio eu, foi apresentado uma reportagem de TV, em uma grande emissora, onde mostrou que houve pelo menos três episódios de manobras com aviões, e que por pouco não ocorreram tragédias com a colisão das aeronaves. Isso no começo desse ano, parece, e antes do acidente com a Gol e a Legacy. Ninguém tomou as devidas providências, e os comandantes que tentaram alertar seus superiores foram exonerados dos cargos.

Mas as “manobras” continuam, e os controladores fazem a “operação padrão” alegando stress. Posteriormente fiquei sabendo, através de uma reportagem de TV, que eles tiveram até de usar seus próprios celulares, para cobrir as falhas do sistema. Estavam trabalhando no limite!

Até que os próprios controladores declaram que os pilotos da Legacy não são os culpados pelo acidente:
http://www.estadao.com.br/ultimas/cidades/noticias/2006/dez/04/324.htm
Houve êrros dos controladores de vôo, e um admitiu abertamente esse êrro:
http://br.news.yahoo.com/05122006/25/manchetes-noticias-
controlador-brasilia-admite-erros-no-acidente-da-gol.html

...mas essa confissão não é levada a sério. Precisavam de um bode expiatório.

Poucos dias depois, a polícia indicia os dois pilotos pelo acidente, e devolve seus passaportes, para poderem deixar o país:
http://br.news.yahoo.com//08122006/5/ noticias-manchetes-
pf-indicia-pilotos-legacy-risco-trafego-aereo.html

Segundo consta, eles falaram o necessário, durante o interrogatório, antes do indiciamento, orientados pelos advogados, e acompanhados pelos representantes dos EUA. Isso porque, sabiam que já estavam determinados em indiciá-los, e que portanto, não iriam mudar a situação. E quando voltaram para os EUA, imediatamente, foram recebidos com festas, e como heróis...:
http://br.news.yahoo.com//09122006/5/noticias-manchetes-
pilotos- legacy-sao-recebidos-nos-eua-parentes-amigos.html

Enquanto isso, no Brasil, o show pirotécnico continua. Após o nosso presidente ter declarado, no dia 10 de dezembro, que a crise aérea terminou, surge o problema com a empresa aérea TAM, sem contar que todo o tráfego aéreo continua problemático. Isto é, a empresa que aparentemente não tinha problema, torna-se o alvo principal da crise, com direito a indignações e agressões dos próprios passageiros, vítima de atrasos. Mas é um show que você não fica sabendo exatamente o que de fato aconteceu. Se é a crise de comunicação, pane nos computadores. Enfim, não se tem a certeza que de fato o que estão alegando é a verdade. Como é que todo o tráfego aéreo do Brasil passou a ter tantos problemas?

Se os dois pilotos foram de fato, os culpados pelo acidente trágico, a ponto de serem indiciados, nada mais justo que os controladores responsáveis sejam igualmente indiciados. Pois, jamais os pilotos poderiam ser os únicos responsáveis, uma vez que houve tentativas frustradas em comunicarem com as torres de controle e vice-versa. Sabiam dos problemas em que estavam enfrentando. E certamente estavam tomando providências para saná-los. Além disso, segundo o noticiário do último link apresentado (acima)...

“Em depoimento à Polícia Federal, controladores que trabalhavam no dia do acidente denunciaram a existência de ‘pontos cegos’ no espaço aéreo brasileiro, particularmente na região da tragédia. Autoridades da Aeronáutica e do Ministério da Defesa negam, no entanto, a existência dessas zonas no espaço aéreo do país.”

Eles (da Aeronáutica) não podem admitir os êrros. Seria muita incompetência. Depois de grandes investimentos na estrutura aeroviária. Estariam ferindo o orgulho da própria corporação. Se existe negligência, por parte do governo, em fazer a manutenção das rodovias brasileiras, afetando assim, sensivelmente a economia nacional, não é difícil presumir que o governo foi relapso em fazer a devida manutenção da estrutura do tráfego aéreo. Só que as mortes decorrentes da má conservação das estradas não têm o mesmo peso da queda de um Boing...

Tudo leva a crer que as crises aéreas servirão perfeitamente bem para desviar a atenção do cidadão, sobre os verdadeiros culpados do acidente com o Boing da Gol (vôo 1907). Ou o caro leitor ainda acredita que alguém, ou os controladores responsáveis, ou as autoridades responsáveis, serão de fato indiciados?



®zadoque, 2013 -- Você pode usar o conteúdo desta página desde que indique a fonte.

Tópicos a pesquisar:
APRESENTAÇÃO
BLOGS E SITES INTERESSANTES
ZADOQUE ARTS
QUEM É ZADOQUE?
CONTATO POR E-MAIL

Blog e redes sociais aonde possam deixar comentários:
ZADOQUE IMAGES
TWITTER/ZadoqueImages


® Zadoque, 2017